This site uses cookies to store information on your computer. Learn more x

Fome oculta: Quando o excesso encobre a escassez

A fome oculta é definida, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), como uma deficiência de micronutrientes (vitaminas e minerais). Trata-se, mais especificamente, de um desequilíbrio na alimentação acarretado pelo consumo insuficiente dos alimentos que são fontes desses micronutrientes essenciais, tais como frutas, legumes e verduras, peixes e óleos vegetais, além de leite e seus derivados.

Diferentemente da fome clássica ou da má nutrição, a fome oculta pode aparecer mesmo em pessoas que ingerem calorias de maneira adequada ou até mesmo naquelas que apresentam excesso de peso ou obesidade. Ou seja, a fome oculta não acomete somente os indivíduos que vivem em situação de escassez de comida, mas também aqueles que consomem alimentos em excesso.

Inadequações de nutrientes são encontradas no mundo todo e um terço da população mundial sofre de fome oculta. Porém, é nos países em desenvolvimento que essa deficiência é mais observada, principalmente em relação à vitamina A, ao ferro e ao zinco. A carência desses nutrientes essenciais pode levar não só ao prejuízo do crescimento e desenvolvimento em crianças e adolescentes, como também comprometer, em todas as faixas etárias, o sistema de defesa do organismo, além de predispor o surgimento de algumas doenças crônicas como a hipertensão arterial, o diabetes e a osteoporose.

Para otimizar o pleno desenvolvimento físico e mental da criança é fundamental garantir, principalmente nos seus primeiros 1000 dias de vida e em conjunto com uma alimentação saudável, o acesso aos micronutrientes essenciais.

Órgãos internacionais como a OMS, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) recomendam que, para a prevenção da fome oculta, devem ser implementados programas de intervenção pautados em suplementação de micronutrientes e fortificação de alimentos, além de campanhas de incentivo ao consumo de vegetais.

Conscientizar as pessoas sobre os benefícios de uma alimentação saudável, rica em nutrientes essenciais e auxiliá-las a garantir o acesso a esse direito são responsabilidades de todos aqueles que atuam na área de alimentação e nutrição. É pautado por essas diretrizes que o programa de melhoria nutricional da DSM desenvolve produtos seguros, atrativos e nutritivos. Exemplo dessa orientação é o pó multivitamínico que, quando polvilhado em alimentos, agrega valor nutricional sem alterar suas características.

Referências:

DSM. Invisible. Disponível em: https://www.dsm.com/content/dam/dsm/cworld/en_US/documents/hidden-hunger.pdf