This site uses cookies to store information on your computer. Learn more x

DSM na América Latina

CEO da DSM, Feike Sijbesma, é nomeado entre os 50 maiores líderes do mundo pela Revista Fortune

20 abr 2018 21:02 CEST

O CEO da DSM, Feike Sijbesma, foi nomeado entre os 50 maiores líderes do mundo para o ranking anual da Revista Fortune. Ele é o número 44 da lista e o único holandês presente. A lista completa está aqui Fortune, ela inclui Bill e Melinda Gates; Tim Cook, CEO da Apple; Larry Fink, CEO da Blackrock; o presidente Macron da França; Liu He, vice-premiê da República Popular da China; Serena Willianms; Oprah Winfrey; estudantes combatendo a violência armada nos Estados Unidos; e o movimento #MeToo.

A Fortune diz que avaliou os líderes sobre a criação de riqueza, em vez do tamanho, conforme medido convencionalmente. Ela credita o foco de Sijbesma na sustentabilidade e, principalmente, seu trabalho na precificação de carbono como principais razões para sua inclusão.

Sobre Sijbesma, a Fortune diz: “Na última década, ele reformulou a DSM para se concentrar em negócios para melhorar a vida das pessoas e preservar o planeta. Como co-presidente de grupos como a Carbon Pricing Leadershipe Coalition (CPLC), Sijbesma provou ser particularmente eficaz na mobilização de colegas executivos”.

A notícia da Fortune chega no dia em que Sijbesma foi nomeado presidente do Fórum de Liderança de Alto Nível sobre preços e competitividade de carbono. A CPLC anunciou que o novo fórum reunirá líderes do setor privado em torno de preocupações de competitividade que poderiam inibir a adoção mundial da precificação de carbono.

Feike Sijbesma tem estado ativamente envolvido na CPLC desde abril de 2016. Ele co-presidiu a Assembleia de Alto Nível da CPLC, em Washington, durante as reuniões de primavera do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional. Mais de 100 líderes do governo, empresas e sociedade civil se reuniram para avaliar o progresso global da precificação de carbono e destacar os desenvolvimentos recentes. Entre os comentários em destaque estavam o presidente do Grupo Banco Mundial, Jim Yong Kim, a diretora do FMI, Christine Lagarde e o secretário-geral (adjunto) da ONU.

Sijbesma é o “Líder do Clima” do Banco Mundial, juntamente com Ban Ki Moon e Kofi Annan (ambos ex-secretário-geral das Nações Unidas) e Christiana Figures (ex-secretária executiva da UNFCCC, organização climática da ONU, encarregada do Tratado do Clima de Paris). Sijbesma também fez comentários na Cúpula de 2018 da Comissão Global sobre Economia e Clima.

Além disso, Sijbesma está ativo no combate à desnutrição por meio de várias parcerias e iniciativas, inclusive na Africa Improved Foods (AIF), em Ruanda. Trata-se de uma joint venture entre o governo de Ruanda e um consórcio de quatro principais parceiros internacionais: a Royal DSM, o banco holandês de desenvolvimento FMO, o CDC Group (instituição financeira de desenvolvimento do governo do Reino Unido) e o IFC.

Esta nomeação segue a recente posição da DSM como a número 2 na lista da Fortune das companhias que mudam o mundo, em que a DSM foi reconhecida entre outras por seu trabalho no combate à fome e pela AIF.

Feike Sijbesma acrescentou: “Eu vejo isso como um reconhecimento e incentivo para o grande trabalho de todos os 25 mil funcionários da DSM”.