Por que as diretrizes MEG4 continuarão sendo um tópico importante no evento da Gastech em 2019

Com o fim do verão chegando, muitos de nós, que atuamos no setor de petróleo e gás, começamos a voltar nossa atenção para a Gastech em Houston, onde nos reunimos para discutir o futuro da indústria. Como fabricante de Dyneema® – uma fibra que já está ajudando a mudar as práticas de trabalho no setor – a DSM certamente estará presente no evento.

No evento deste ano em Houston, a discussão inevitavelmente será sobre as novas Diretrizes para Equipamentos de Amarração (Mooring Equipment Guidelines, MEG4) e onde estamos um ano após sua introdução. Graças ao nosso amplo conhecimento de tecnologia de fibra, desenho de cabos e práticas de amarração, a DSM se comprometeu a trabalhar em estreita parceria com o Oil Companies International Marine Forum (OCIMF) para desenvolver as MEG4 antes de sua introdução em 2018. Mas por que diretrizes relacionadas ao projeto de cabos de amarração são relevantes para o setor de petróleo e gás? E como elas ajudarão a moldar o seu futuro?

Todos nós que atuamos com petróleo e gás sabemos que a complexidade e a dinâmica pelas quais o setor é conhecido irão se intensificar à medida que a demanda global por gás aumentar. Navios metaneiros estão percorrendo partes frias e quentes do planeta, aumentando de tamanho e tendo de realizar manobras em portos cada vez mais cheios. Nesse cenário, todos nós queremos assegurar que a amarração dessas embarcações seja realizada da forma mais rápida, segura e com a melhor relação custo-benefício possível. 

A introdução das diretrizes MEG4 no ano passado estabelecem um novo padrão para o desenho de hardware e cabos de amarração, a dinâmica de amarração, critérios de inspeção e descarte, além de fornecerem recomendações sobre a resistência dos cabos de amarração e – o aspecto mais importante, em nossa opinião –, as perguntas que os engenheiros e compradores devem fazer ao seu fornecedor de cabos. Para os operadores que seguem as diretrizes, o resultado é uma redução nas falhas inesperadas nos cabos de amarração, o que ajuda a diminuir drasticamente o risco para os profissionais de amarração e a garantir um processo de amarração muito mais eficiente.

Graças ao efeito positivo que as diretrizes MEG tiveram na indústria desde a primeira introdução em 1992, hoje, a maioria das transportadoras de petróleo e gás agora estão especificamente solicitando linhas que estejam em conformidade com as diretrizes MEG4.

À medida que o setor de petróleo e gás segue evoluindo, o desenvolvimento contínuo de diretrizes de amarração desempenhará um papel pequeno, porém fundamental, ao manter toda a indústria operando com máxima capacidade. Nossos parceiros de cabos de fibra premium se dedicam a produzir cabos de amarração e reboque duráveis, resistentes e seguros fabricados com Dyneema® SK78 de acordo com as diretrizes MEG4. Continuaremos trabalhando com o setor para aprimorar a amarração nos próximos anos.

Compartilhar

Publicado

Artigos relacionados

Refletindo sobre as diretrizes MEG4, um ano depois

This site uses cookies to store information on your computer.

Saiba mais