Alimentação correta garante um melhor desenvolvimento de equideos

Como a alimentação correta garante o melhor desenvolvimento de equídeos

03/06/2017 | Autores: Equipe Cavalaria DSM - Wilton William Bonfim de Azevedo, Thiago Luiz dos Santos,  Velter Rosa e Rafael Augusto França 

Para o potro lactente, a primeira fonte natural de alimento é o leite materno. Uma égua em início de lactação, dependendo da raça, produz de 12 a 18 kg de leite por dia e, durante a lactação, cerca de 9,8 kg de leite por dia. Uma alimentação baseada apenas no leite da mãe é problemática por ser difícil determinar a quantidade de leite que ela está produzindo, e se essa quantidade é suficiente para atender às necessidades nutricionais do potro. Mesmo que a égua e a cria estejam andando juntas, isto não significa que o potrinho ainda esteja mamando. Afinal, muitas éguas podem não conseguir suprir totalmente os nutrientes exigidos pelas crias, mesmo no pico de sua produção de leite.

Logo após o parto, o leite da égua pode proporcionar até 7.300 calorias de energia digestível, alcançando 8.000 calorias no terceiro mês e declinando a partir daí. Logo nos primeiros dias de vida, o potro precisa de aproximadamente 6.000 calorias diárias de energia digestível. Tal necessidade aumenta rapidamente para 8.000 calorias no fim do segundo mês de vida; neste período, a energia exigida pelo potro começa a exceder a quantidade fornecida pelo leite materno. Aos seis meses, o potrinho poderá apresentar severas deficiências de proteínas, vitaminas e minerais se a fonte de alimentação for apenas o leite. As exigências energéticas aumentam de forma gradual, até duplicar, chegando a 16.000 calorias de energia digestível por dia aos 14 meses.

This site uses cookies to store information on your computer.

Saiba mais