Período de transição Saiba como identificar e previnir as 3 doenças que mais impactam a saúde da vaca

Período de transição Saiba como identificar e previnir as 3 doenças que mais impactam a saúde da vaca

17/04/2018 | Autor: Marcelo Grossi Machado - Coordenador Técnico de Gado de Leite Sudeste  

A pecuária leiteira convive há séculos com um setor de baixo desempenho e rentabilidade. Casos de sucesso são sempre levantados e elogiados, pois são, quase sempre, raros.

Os motivos técnicos para isso são diversos: falhas na ambiência, alimentação, reprodução, sanidade entre outros.

Um fato perceptível é que a lactação é a fase da vida do animal que o produtor normalmente é mais focado, dado aos resultados de curto prazo que isso gera (quem traz renda para a fazenda).

Outro fato importante é a massiva maioria de nossas propriedades tendo insucesso em resultados reprodutivos, que leva a um número de dias em lactação alto e assim baixa resposta nutricional e financeira.

O clima do País sem dúvida contribui, quando comparado a sistemas de clima temperado, porém existe um inimigo óbvio ainda invisível para a maioria dos produtores que precisa ser abordado: as falhas durante o período de transição, que engloba tradicionalmente 21 dias antes e 21 dias depois do parto.

Aqui vão algumas perguntas para repensarmos nosso sistema: por que nossas vacas são inseminadas com 120, 150, 180, 210... dias em lactação e não cedo como recomendado? Por que muitas fazendas têm taxa de concepção tão baixa? Por que mesmo onde a observação de cio (taxa de serviço) e a eficiência de inseminação (taxa concepção) são razoáveis estes animais só demonstram cios férteis bem tarde?

Após o parto surgem várias dores de cabeça ao produtor como: retenção de placenta, deslocamento de abomaso, hipocalcemia, metrite, mastite, cetose...

Praticamente todas as doenças de vacas em lactação poderiam ser reunidas nesta fase e o maior erro é não entender que o período que vem antes é muito mais importante do que a lactação em si.

Segundo Godden (2003), 25% dos descartes de vacas ocorrem até 62 dias de lactação, advindos especialmente de casos de retenção de placenta ou derivados dele.

Por ser um problema silencioso, ou muitas vezes que os produtores se acostumam a ter na fazenda, estes esquecem que nessa fase a vaca precisa de máximo cuidado.

Conclusão

Lembre-se: as vacas secas de hoje serão suas vacas em lactação de amanhã! E o que você tem no curral hoje, não poderá ser alterado após os erros cometidos no passado.

Avalie sua ingestão de matéria seca no período. Vacas misturadas com novilhas no pré-parto devem comer >11 Kg matéria seca por dia e no pós-parto >17 Kg.

A DSM oferece as melhores soluções para esta fase e é pioneira no desenvolvimento de tecnologias nutricionais específicas para a fase mais crítica da vida da vaca. Consulte um de nossos técnicos e aprenda a fazer a correta nutrição e monitoramento desses 60 dias.