Aditivos para silagem | Inoculantes para silagem

Um aditivo para silagem eficaz ajuda a conduzir a fermentação na direção correta, impedindo que micróbios indesejáveis roubem as proteínas e recursos energéticos valiosos da forragem ensilada.  

Espécies selecionadas

NOSSA AMBIÇÃO

Melhore a qualidade da silagem para um melhor retorno sobre o investimento (Return Over Investment, ROI)

Fazer a silagem permite ao fazendeiro estocar forragem, fornecendo uma alimentação econômica quando necessário. Desde a confecção da silagem até a alimentação, o desafio é se certificar de que matéria seca, energia e proteína não sejam perdidos. 

Um aditivo para silagem eficaz ajuda a conduzir a fermentação na direção correta, impedindo que micróbios indesejáveis roubem as proteínas e recursos energéticos valiosos da forragem ensilada.  

Nem mesmo a melhor seleção de aditivo para silagem consegue substituir uma silagem feita conforme os princípios corretos.

Tipos de inoculante para silagem

Uma ampla variedade de inoculantes para silagem estão disponíveis no mercado. Elas podem ser amplamente agrupadas em três categorias diferentes.  

  • Bactérias 
  • Conservantes ou ácidos orgânicos 
  • Enzimas

Bactérias

A maioria dos inoculantes para silagem são bactérias do ácido lático (lactic acid bacteria, LAB). Alguns produtos contêm apenas cepas homofermentativas ou cepas heterofermentativas, enquanto outros são uma combinação dos dois tipos de LAB. 

Bactérias homofermentativas tais como  Lactobacillus plantarum, Pediococcus, Enterococcus e Lactococcus aumentam a produção de ácido lático, o que leva a uma queda mais rápida no valor do pH e melhor fermentação, assim reduzindo as perdas de DM, quebras nas proteínas e crescimento de micro-organismos indesejáveis. 

Bactérias heterofermentativas como  Lactobacillus brevis, L. kefiri e L. buchneri convertem os açúcares de forragem em ácido lático e acético. A produção de ácido acético irá melhorar a estabilidade aeróbica da silagem, prevenindo a proliferação de levedura e mofo indesejáveis, mantendo a silagem altamente nutritiva e higiênica.   

Em silagem de grama, o principal desafio é a acidificação, caso em que uma quantidade adequada de bactérias do ácido lático (lactic acid bacteria, LAB) homofermentativas devem ser aplicadas. Uma combinação de bactérias do ácido lático homo e heterofermentativas garante não apenas ótima fermentação, mas também melhora a estabilidade aeróbica.  

Aplicação de bactérias inoculantes

Inoculantes de silagem são geralmente aplicados enquanto a forragem está sendo coletada ou enfardada, usando um aplicador específico. Enquanto a forragem já terá uma variedade de bactérias de ocorrência natural, incluindo espécies de bactérias do ácido lático, a comunidade microbiana presente pode não levar à fermentação ideal e pode até mesmo ter altos níveis de bactérias nocivas.  

O objetivo do inoculante é fornecer uma quantidade selecionada de cepas com conhecidos efeitos na fermentação para ajudar a garantir que a fermentação ocorra rapidamente e na direção correta. 

A taxa de 100.000 (1 x 105) unidades formadoras de colônia (colony forming units, cfu) por grama de forragem fresca fornecerão micro-organismos suficientes para dominar a fermentação. Se um inoculante de silagem tiver um nível mais baixo do que esse, ou nem sequer especificar a contagem de cfu, então pode haver bactérias insuficientes para realmente influenciar na fermentação da silagem de modo positivos. 

Fique atento para que as bactérias inoculantes não sejam todas iguais. Mesmo dentro da mesma espécie, existe uma ampla variação em relação a qual efeito a bactéria terá na fermentação. Os produtos e as evidências publicadas da eficácia devem especificar o real número de cepas para garantir segurança aos consumidores. 

A qualidade da embalagem e das condições de armazenamento também são importantes. Esses fatores visam a impedir a exposição ao oxigênio, à umidade e ao calor, o que pode reduzir a viabilidade das bactérias. Siga as instruções do fabricante sobre armazenamento e uso e certifique-se de que a aplicação seja igual e abrangente sobre a forragem inteira.

Conservantes

O uso de ácidos orgânicos, tais como ácidos propiônico e fórmico, têm o objetivo de baixar o pH da silagem para torná-la menos favorável a bactérias indesejáveis tais como Clostrídios. Outros ácidos orgânicos e seus sais, incluindo sorbato de potássio e benzoato de sódio, destinam-se ao crescimento das leveduras e fungos do mofo ou na fermentação ou durante a saída da alimentação.  

É preciso haver quantidades suficientes de aditivos para fornecer uma concentração nos fardos de forragem que realmente tenham efeito suficiente no crescimento desses organismos indesejáveis. Essa taxa é tipicamente de 5 a 10 Kg de ingrediente ativo por tonelada de forragem para conservar a silagem ou cerca de 1 a 2,5 kg/ton. para restringir a quantidade de levedura na saída da alimentação. Compare esses valores com o que está realmente contido em um produto que alega um efeito conservante. 

Os ácidos orgânicos não fornecem plena conservação na taxa de inclusão mais baixa (menor que 5 Kg/ton. de ingrediente ativo). Para garantir uma fermentação adequada, é aconselhável usar inoculantes de silagem. Tenha em mente que ácidos orgânicos e inoculantes de silagem não podem ser misturados.  

Enzimas

O objetivo de se adicionar enzimas à silagem é geralmente ajudar na quebra das paredes celulares de plantas (por exemplo, o uso de celuloses e hemiceluloses). O principal benefício disso parece ser um aumento na quantidade de açúcares disponíveis para que as bactérias LAB convertam em ácido lático para uma acidificação mais rápida.  

Embora haja evidências sobre o resultado favorável desse procedimento na qualidade da silagem e na produção animal, é menos confiável do que a abordagem geral de inoculante para silagem. Em alguns casos, há alegações de aumento na digestibilidade da forragem para animais de fazenda, mas as evidências para tal são menos claras. Existem também algumas enzimas destinadas a melhorar a disponibilidade de amido para as bactérias ou para os animais de fazenda, mas pesquisas sobre isso ainda estão em fases iniciais. 

Literatura

Kung, L., 1998. Um estudo sobre enzimas e aditivos para silagem. Proc. 59th Minneapolis Nut. Conf. (p. 121-135). 
Kung, L., 2001. Fermentação e aditivos para silagem Sci. and Tech. in the Feed Ind., 17, p.145-159. 
Muck et al., 2018. Estudo sobre silagem: Avanços recentes e usos futuros de aditivos para silagem. J. Dairy Sci. 101(5): 3980 a 4000. 

Referências

Acosta-Aragon, Y., Jatkauskas, J. and Vrotniakiene, V., 2012. O efeito de um inoculante de silagem na qualidade da silagem, estabilidade aeróbica e na produção de leite. Iranian Journal of Applied Animal Science, 2(4), p.337-342. 

Aragón, Y.A., 2012. O uso de cepas de probióticos como inoculantes de silagem. In Probióticos em animais. IntechOpen. 

Aragón, Y.A., Stadlhofer, J., Schoendorfer, K., Pasteiner, S., Schatzmayr, G., Klimitsch, F.,  

Kreici, G. e Boeck, G 2010, O uso de um inoculante de silagem em silagem de grãos de Pisum sativum. Biotecnologia na criação animal 26 (edição especial), p 451-456. 

Aragón, Y.A., Stadlhofer, J., Schoendorfer, K., Pasteiner, S., Schatzmayr, G., Klimitsch, F., Kreici, G. e Boeck, G 2010, O uso de um inoculante de silagem na silagem de grãos de vagem (Vicia faba). Biotecnologia na criação animal 26 (edição especial), p 451-456. 

Kesselring, J., Boeck, G., Schoendorfer, K., Hoeger, T. e Schatzmayr, G., Qualidade da fermentação da silagem em silagens de grama inoculadas com Lactobacillus kefiri apenas e uma formulação contendo L. kefiri. In 15. BOKU-Symposium Tierernährung 129-132. 

Jatkauskas, J. e Vrotniakienė, V., 2011. O efeito das bactérias inoculantes do ácido lático na qualidade da fermentação e estabilidade aeróbica da silagem de leguminosas. Gyvulininkystė: Mokslo Darbai (Animal Husbandry: Scientific Articles), (57), p.28-39. 

Jatkauskas, J., Vrotniakiene, V. e Aragón, Y.A., 2010. Qualidade de fermentação e valor nutricional de silagem de capim-leguminosa tratada com inoculante BioStabil Plus. 14th Intl. Symp. Forage Cons. 45-47. 

Rodríguez AA, Acosta Y, Rivera V, Randel PF. Efeito de um inoculante microbiano nas características da fermentação, estabilidade aeróbica, ingestão e digestibilidade da silagem de milho por carneiros. Rev Colomb Cienc Pecu 2016; 29:108-118. 

Rodriguez AA, Acosta-Aragon Y, Valencia E. Biomin Biostabil Mays melhorou a fermentação e a estabilidade aeróbica da silagem de milho sob condições laboratoriais tropicais. J Anim Sci 2009; 87, E-Suppl. 424. 

Schöndorfer, K., Aragón, A.Y., Klimitsch, A. e Schatzmayr, G., 2010. Efeito de Biostabil Mays na estabilidade aeróbica de silagens de milho. In Anais da Conferência, 14o. Simpósio internacional sobre conservação de forragem, Brno, República Tcheca, 17-19 Março, 2010 (p. 152-153). 

Vrotniakiene, V., Jatkauskas, J., Schnyder, H., Isselstein, J., Taube, F. and Auerswald, K., 2010. A qualidade da fermentação e perdas de massa seca em silagens de leguminosas tratadas com mistura de bactérias do ácido lático. In: Pastagem em um mundo em transformação, p. 575 - 577. 

Zwielehner, J., Jatkauskas, J. e Vrotnikiene, V., Qualidade da fermentação da silagem na planta inteira de milho inoculada com uma nova formulação de um inoculante biológico com Lactobacillus kefiri, recém-autorizado nos EUA. In 13. BOKU-Symposium Tierernährung, p. 259-263. 

Soluções para silagem

  • BIOMIN® CleanGrain Plus

    BIOMIN® CleanGrain Plus é uma mistura exclusiva de ácidos e sais orgânicos criada para proteger contra a deterioração de grãos e subprodutos causados por bolores, leveduras e bactérias.

  • Biomin® BioStabil

    Biomin® BioStabil é uma formulação de bactérias de ácido lático estrategicamente selecionadas para feno, silagem e preservação de forragem ideais. Biomin® BioStabil preserva a energia de sua silagem.

Share

Share