Ascite em galinhas | Barriga-d’água

Espécies selecionadas

Barriga-d’água em rebanhos de frangos de corte é causa primária na mortalidade e condenações de carcaças inteiras.

A ascite em galinhas, comumente conhecida como barriga-d'água, representa um espectro de alterações fisiológicas e metabólicas que levam ao acúmulo excessivo de fluidos na cavidade abdominal. Essas mudanças ocorrem em resposta a um grande número de fatores alimentares, ambientais e genéticos.

Definição

O termo “ascite” na verdade se refere ao acúmulo de fluidos na cavidade abdominal: a tão chamada barriga-d’água. A doença é mais cientificamente conhecida como síndrome da hipertensão pulmonar. A ascite é mais comumente diagnosticada durante a quarta e a quinta semana de idade. A mortalidade total devido à ascite é maior nas linhagens parentais masculinas, as quais têm a capacidade de crescimento mais rápido e maior deposição muscular quando comparado com as linhagens femininas (Dewil et al., 1996).

Patologia

A patologia está associada com a elevada pressão sanguínea entre o coração e os pulmões (hipertensão pulmonar), levando à falência cardíaca, aumento da pressão sanguínea nas veias e acúmulo excessivo de fluidos no fígado, que vazam para o interior da cavidade corporal (Dewil et al., 1996).

Sintomas característicos da ascite em galinhas

  • Fraco desenvolvimento da ave
  • Abdome dilatado (“barriga-d’água”)
  • Dispneia (respiração ofegante, acompanhada de som borbulhante, mesmo na ausência de estresse térmico aparente)
  • Possível cianose (uma coloração azul na pele, especialmente ao redor da crista, barbela e tecido muscular - Figura 1)

Figura 1. Abdômen dilatado, ou barriga-d'água, causado por ascite em galinhas

Etiologia

A etiologia da ascite é bastante contraditória. Geralmente culpa-se a genética pela barriga-d’água em aves. Entretanto, as empresas de criação têm aprimorado a resistência genética do estoque quanto à ascite.

Uma combinação de fatores leva à ascite: 

  • Ambiente: temperaturas ambientais, elevadas altitudes, densidade do estoque, qualidade do ar
  • Nutrição: densidade da dieta, tipo de alimentação
  • Higiene: alimentação, ambiente
  • Eventos genéticos 

Mofo

Outro agente patogênico é um mofo, Aspergillus fumigates,ocasionalmente presente no ambiente de todas as aves. A doença causada por esse mofo, tão chamado de “pneumonia de chocadeira”, forma colônias de mofo nos pulmões e produz áreas nodulares duras, o que leva à infecção no saco aéreo e subsequentemente ao desenvolvimento de ascite.

Endotoxinas

Um número considerável de síndrome de ascite em rebanhos de frangos de corte é causado por micro-organismos. A maioria das bactérias gram-negativas (E. coli, Salmonella sp., Campylobacter) são consideradas patogênicas devido a sua camada de lipopolissacarídeo (lipopolysaccharide, LPS). 

Alguns estudos provaram que os LPS desencadeiam vasoconstrição pulmonar levando à ascite (hipertensão pulmonar) em frangos (Chapman et al., 2005). LPS transportado pelo ar é onipresente no ambiente dos frangos e está positivamente relacionado com a quantidade de poeira orgânica nos aviários (Zucker et al., 2000).

Por exemplo, a exposição respiratória à bactéria E. coli pode ampliar a incidência de ascite em cinco vezes entre os frangos. É sabido que a Salmonella typhiumurium pode causar até 79% de mortalidade em pintos de uma semana. Porém, alguns estudos relataram lesões de salmonelas em frangos de 4 a 6 semanas com coinfecção por E. coli , consequentemente levando à ascite (Ganapathy et al., 2000).

Tratamento e prevenção

Em primeiro lugar, é importante entender as causas básicas da ocorrência de uma ascite em um aviário. No caso das ascites de origem genética, a restrição alimentar pode reduzir o efeito da doença. Aves com crescimento mais lento têm reduzidas necessidades de oxigênio, permitindo aos órgãos cardiopulmonares (coração e pulmões) que mantenham as demandas de oxigênio dos pássaros.

Porém, reduzir a ingestão alimentar reduz o desempenho  de crescimento do frango. Restrição alimentar só é um benefício econômico quando a incidência de ascite for muito severa.

No caso de ascite causada por micro-organismos, estudos recentes investigando os efeitos da suplementação alimentar com acidificantes têm mostrado resultados promissores. Com certeza, práticas ideais de gerenciamento são também muito importantes para reduzir o problema da ascite e maximizar o desempenho dos frangos de corte.

Melhorias no desempenho do crescimento e redução nas taxas de mortalidade, bem como benefícios no alívio da ascite em galinhas têm sido observados em recentes ensaios com o produto acidificante da BIOMIN, Biotronic® SE.

O efeito do acidificante  Biotronic® SE  na incidência de ascite em um aviário comercial (Bolívia).

Tabela 1. Efeito de-Biotronic® SE no peso corporal e na taxa de mortalidade em frangos

Modelo do experimento

Pintos machos Cobb 500 de novecentos dias foram divididos em três grupos. As aves foram alimentadas com uma dieta de milho e farinha de soja. A dieta do grupo negativo de controle não continha aditivos enquanto a dieta do grupo positivo de controle foi suplementada com um antibiótico estimulante de crescimento (antibiotic growth promoter, AGP), e o grupo experimental foi suplementado com o acidificante Biotronic® SE (BIOMIN GmbH) a uma taxa de inclusão de 1,5 kg/t de alimento. A duração do experimento foi de 46 dias. Os pesos das aves foram registrados nos dias 14, 35, 42 e 46. A observação da mortalidade e das anormalidades nas aves (diarreia, depressão e imobilidade) foi realizada diariamente.

Gerenciamento da fazenda

O experimento foi realizado em um aviário comercial a 2600 metros acima do nível do mar na Bolívia. A temperatura média externa do ambiente foi de 18 °C e a umidade foi de 40%. Os pássaros foram vacinados contra Newcastle, Bronquite Infecciosa e Doença Infecciosa da Bolsa.

Incidência de ascite

A incidência de ascite foi caracterizada por sinais clínicos (respiração ofegante, acompanhada de som borbulhante, cristas e rebarbas cianóticas, acúmulo excessivo de fluido abdominal) e taxas de mortalidade. A incidência de ascite em galinhas foi confirmada na autópsia.

Resultados

Nos primeiros 42 dias, os frangos não mostraram nenhum sinal clínico claro de ascite, embora no dia 35 taxas de mortalidade tenham sido registradas nos grupos de controle negativo, controle positivo e no Biotronic® SE, como 2,04, 3,09 e 2,39%, respectivamente (Tabela 1). No dia 42, foi observada a eclosão da ascite no aviário com sintomas ascíticos típicos, tais como respiração ofegante, cristas e rebarbas cianóticas, depressão, abdome expandido e elevadas taxas de mortalidade de até 7,53, 5,26 e 3,81% nos grupos de controle negativo, controle positivo e no Biotronic® SE, respectivamente. No grupo Biotronic® SE, a taxa de mortalidade caiu 37,27% em relação à taxa de mortalidade anterior à eclosão de ascite, comparado com 72,90 e 41,25%, respectivamente, nos grupos controle negativo e positivo, respectivamente.

A autópsia das aves mortas revelou lesões características de ascite. Líquido âmbar ou claro (linfa) foi encontrado na cavidade abdominal, os corações estavam aumentados com fluido no pericárdio (a bolsa ao redor do coração), os fígados estavam inchados e congestionados e às vezes com fibrina aderida à sua superfície, e os pulmões estavam pálidos ou acinzentados.

No final da semana 7, a mortalidade nos grupos de controle negativo e positivo alcançou 15,39% e 7,53%, respectivamente, enquanto o grupo alimentado com dietas suplementadas com Biotronic® SE registrou a taxa de mortalidade mais baixa, com 6,76%.

Figura 2. Cavidade abdominal aberta de um frango de corte ascítico mostrando a abundância de fluido ascítico.

Discussão

O resultado desse experimento mostrou que a suplementação de dieta com o acidificante Biotronic® SE representa uma solução para aliviar o efeito das ascites nos frangos de corte. Nesse estudo, a ascite pode ser atribuída a uma causa microbiana, mais provavelmente  Salmonella sp. ou E. coli  e alguns outros agentes coinfecciosos.

A causa genética da ascite neste caso pode ser excluída já que o crescimento dos frangos foi muito mais baixo se comparado com o desempenho padrão de crescimento da Cobb 500. Devido às pobres condições higiênicas da fazenda, as condições de proliferação de micro-organismos patogênicos no ambiente e alimento foram favorecidas.

O resultado desse experimento mostrou que a suplementação de dieta com o acidificante Biotronic® SE representa uma solução para aliviar o efeito das ascites nos frangos de corte. Nesse estudo, a ascite pode ser atribuída a uma causa microbiana, mais provavelmente  Salmonella sp. ou E. coli  e alguns outros agentes coinfecciosos.

A causa genética da ascite nesse caso pode ser excluída, já que o crescimento dos frangos foi muito mais baixo se comparado com o desempenho-padrão de crescimento da Cobb 500. Devido às pobres condições higiênicas da fazenda, as condições de proliferação de micro-organismos patogênicos no ambiente e alimento foram favorecidas.

Além disso, alguns fatores de predisposição tais como elevada altitude e ventilação insuficiente estiveram presentes, exacerbando a síndrome de ascite nesse rebanho de frangos de corte. Devido a esse efeito antimicrobiano, Biotronic® SE melhorou a higiene ambiental e impediu a deterioração alimentar por micróbios e fungos.

Além disso, é sabido que a suplementação alimentar com acidificantes reduz a ocorrência de bactérias patogênicas no trato gastrointestinal, melhorando assim o estado de saúde do animal. Isso foi confirmado pela redução das taxas de mortalidade no grupo Biotronic® SE quando comparado com os grupos de controle negativo e positivo (AGP). Nesse experimento, a adição de Biotronic® SE ao alimento foi eficaz no alívio do efeito da ascite causada por fatores microbianos em frangos.

A linha de produtos Biotronic® consiste de produtos disponíveis tanto na forma líquida quanto em pó para aplicação na ração e na água, soluções práticas e ideais para e prevenção e controle de eclosões de ascite em rebanhos de frangos de corte.

Conclusão

  • Na produção animal moderna, os acidificantes têm provado ser uma alternativa eficiente para os antibióticos.

  • A acidificação alimentar contribui para a higiene ambiental, com uma função contínua por meio da ração ou da água no trato gastrointestinal dos animais.

  • Biotronic® SE obteve sucesso no alívio dos efeitos de várias doenças intestinais, sendo sua ação contra a ascite em frangos a mais recente aplicação disponível para os produtores.

Solução

  • Biotronic®

    A linha Biotronic® de acidificantes avançados de última geração auxilia animais de produção modernos contra bactérias gram-negativas.

Share

Share