Vitamina C especial para higiene bucal de animais de estimação

A razão pela qual precisamos de uma solução para a higiene bucal dos pets

O gráfico abaixo ilustra a progressão de doenças dentárias comuns tanto em cães e gatos como em humanos.

Em um estudo feito pela empresa Veterinary Pet Insurance Co. em 2014, “Periodontite/Doenças dentais” aparece como uma das dez doenças mais comuns entre cães e gatos. Gerenciar a formação de placas e tártaros é a primeira intervenção para prevenir periodontite.

Donos de cães e gatos têm dificuldades para fazer higiene bucal em seus amigos peludos por dois motivos:

  1. Escovar seus dentes é muito difícil.
  2. Higiene bucal para cães e gatos é cara, demorada e há relutância em submeter os pets a anestesias para o procedimento.

Esses fatos ficaram evidentes em estudos de pesquisas de mercado elaboradas pela Market Tool (agora conhecida como MetrixLab) e encomendados pela DSM.

Resultados de um estudo de mercado nos Estados Unidos em 2011 indicaram que apenas 9% dos donos de pets concordaram plenamente com a afirmação “Eu limpo os dentes do meu cão todos os dias.” No mesmo estudo, a maioria dos donos de gatos concordaram com “Seria difícil limpar os dentes do meu gato todos os dias.” Ao passo que, segundo outro estudo americano de 2009, a maioria dos donos de cães concordaram com “Ter a limpeza dos dentes do meu pet feita por um veterinário é caro e demorado.” É improvável que estas estatísticas variem muito em outros países ou tenham se modificado de forma significativa desde então.

Por que levar em conta a Vitamina C da DSM STAY-C® 50 no apoio à higiene bucal de animais de companhia?

A base para testar a STAY-C® 50 em animais de companhia tem origem na sua eficiência demonstrada através da utilização de bactérias orais pela divisão de cuidados pessoais da DSM. Outras evidências publicadas indicam que a vitamina C desempenha um papel importante na saúde da gengiva e apoia as funções imunológicas, importantes para as implicações sistêmicas avançadas de periodontites.

Conectando esta evidência convincente com os dados das pesquisas de mercado, a divisão de nutrição e saúde animal da DSM prosseguiu com testes sobre os benefícios da STAY-C® 50 em rações secas para cães e gatos obtidas por extrusão e produtos comestíveis e mastigáveis para cães.

Benefícios da STAY-C® 50 para a higiene bucal quando combinado às ações mecânicas de rações secas e de um produto comestível e mastigável

Apesar de existirem três estudos sobre felinos e dois sobre caninos no total, os estudos a seguir, que usam procedimentos similares àqueles descritos pelo Conselho Veterinário de Saúde Bucal (VOHC.org), destacam melhor os benefícios para a higiene bucal obtidos pela STAY-C® 50.

A seguir, um resumo de um estudo sobre higiene bucal de felinos conduzido pelo Instituto para Nutrição da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, Áustria:

O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da vitamina C da DSM STAY-C® 50 em formulações de rações dentais secas para gatos, baseados em parâmetros de saúde oral de gatos domésticos. Um total de 20 gatos domésticos de pelo curto (idade 4,75 + 1,63 anos, peso 4,75 + 1,11 kg) foram distribuídos em dois grupos de dez animais, de acordo com sua idade, peso e tendência à formação de placas, e alimentados com uma formulação dental de controle de ração seca para gatos ou uma dieta com suplementos (formulação de controle acrescentada de 350 mg de STAY-C® 50/kg de alimentos, aplicados topicamente sobre a ração seca) durante 28 dias. Investigou-se a saúde geral e os parâmetros urinários. Os parâmetros de saúde bucal investigados após 28 dias de tratamento incluíram gengivite e índice de placas e tártaros. Seguindo o “modelo de dente limpo”, foi feita uma limpeza dental em todos os gatos antes do período de alimentação de 28 dias.

Em nenhum dos grupos foram observadas mudanças na saúde sistêmica. A saúde bucal dos dois grupos não apresentava diferenças no início do estudo, mas em seu final (dia 28) demonstrou-se diferenças significativas na média matemática de gengivite bucal e índices de placas, indicando inflamações ou formações de placas menos observadas no grupo de teste. Não puderam ser observadas diferenças na formação de tártaro entre os grupos.

Os resultados do presente estudo indicam uma influência positiva da STAY-C® 50 na higiene bucal de gatos. São necessários estudos de longo prazo para elucidar a influência da STAY-C® 50 em processos de ação lenta como a formação de tártaros.

A seguir, um resumo de um estudo sobre higiene bucal de caninos conduzido pela Summit Ridge Farms na Pensilvânia, Estados Unidos:

O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da vitamina C da DSM STAY-C®50em formulações de rações dentais secas para cães, baseados em parâmetros de saúde oral de cães. Um total de 30 cães da raça beagle (idade 2,6 + 0,9 anos, peso 11,36 + 1,5 kg) foi distribuído em três grupos de dez animais, de acordo com sua idade, peso e tendência à formação de placas, e alimentados com uma formulação não dental de controle de ração seca para cães (grupo A), ração dental seca para cães (grupo B) ou uma dieta dental seca acrescentada de 700 mg de STAY-C® 50/kg de alimentos, aplicados topicamente sobre a ração seca (grupo C) durante 28 dias. Investigou-se saúde geral e parâmetros urinários. Parâmetros de saúde bucal investigados após 28 dias de tratamento incluíram gengivite e índice de placas e tártaros. Seguindo o “modelo de dente limpo”, foi feita uma limpeza dental em todos os cães antes do período de alimentação.

Em nenhum dos grupos foram observadas mudanças na saúde sistêmica. A saúde bucal dos grupos não apresentava diferenças no início do estudo. Foi observada diferença numérica na contagem de placas dos grupos B e C no dia 28, mas sem significado estatístico. A contagem de tártaro foi significantemente reduzida nos grupos de dieta dental (grupos B e C) no dia 28, comparada ao grupo de dieta não dental (grupo A), mas não houve diferenças entre dietas dentais com ou sem STAY-C®50. Mudanças na contagem de gengivite não foram significantes nem entre o dia 0 e o dia 28, nem entre os grupos. Embora os efeitos da STAY-C® 50 na saúde bucal não pudessem ser comprovados devido ao forte impacto mecânico da dieta dental, algumas melhorias numéricas acima da dieta dental de controle puderam ser observadas em dentes individuais, em especial naqueles usados principalmente para mastigação. Além disso, uma redução da inflamação das gengivas (contagem de gengivite reduzida,) que foi observada somente no grupo C, indicou que a STAY-C® 50 traz algum benefício para a saúde bucal dos cães, como havia sido demonstrado no caso dos gatos.

A seguir, um resumo de um estudo sobre higiene bucal de caninos conduzido pela Summit Ridge Farms na Pensilvânia, Estados Unidos:

O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da introdução de uma guloseima comestível e mastigável (“chew”) com e sem adição da vitamina C da DSM STAY-C® 50 na formulação, em conjunto com a alimentação diária seca para cães (“dieta”), baseados em parâmetros de saúde oral de cães. Quarenta e cinco cães adultos da raça beagle foram distribuídos aleatoriamente na fase de condicionamento durante 14 dias. Desses, 40 foram selecionados com base em seu consumo de guloseimas e boas condições de saúde para 1 de 4 grupos de tratamento (10 cães por tratamento / 4 tratamentos). Os grupos foram então classificados: grupo A – grupo de controle (apenas “dieta”); grupo B – ração mais uma guloseima sem aditivos (“controle + chew”); grupo C – ração mais uma guloseima contendo 760 mg de STAY-C® 50/kg (“controle + chew L1”); grupo D – ração mais uma guloseima contendo 2.470 mg de STAY-C® 50/kg (“controle + chew L2”). Parâmetros de saúde bucal investigados após 28 dias de tratamento incluíram gengivite e índice de placas e tártaros. Seguindo o “modelo de dente limpo”, foi feita uma limpeza dental em todos os cães antes do início do experimento.

No dia número 28, o estudo mostrou que os grupos B, C e D tiveram uma significativa (p = 0,0007) redução geral na contagem de placas dentais, comparando-se ao grupo de controle A (8,9; 10,2 e 8,7 respectivamente, comparado a 13,4). Os grupos C e D (grupos de tratamento) não mostraram uma melhora significante (p = 0,4509) na redução de placas, comparando-se ao grupo B (guloseimas sem aditivos). Os grupos B, C e D tiveram uma significante redução geral (p = 1,81E-0,5) na contagem de tártaro dental, comparando-se ao grupo A (2,5; 2,8 e 2,4 respectivamente, comparado a 6,4). Os grupos C e D não mostraram uma melhora significante (p = 0,8497) na redução de tártaro, comparando-se ao grupo B. Nos dias de estudo número 0 e 28 foi feita uma contagem média de gengivite bucal em todos os cães. Os grupos B, C e D mostraram uma contagem geral de gengivite reduzida no dia 28, comparando-se à analise no dia 0 (-17,4%; -28,1% e -16,2% respectivamente), tendo o grupo C (“controle + chew L1”) demonstrado uma melhora significativa. A contagem geral média de gengivite bucal do grupo A (apenas “dieta”) aumentou em 8,7% quando o dia de estudo número 28 foi comparado ao dia 0 (1,12 e 1,03 respectivamente).

Embora os efeitos da STAY-C®50 na contagem de placas e tártaros não pudessem ser comprovados devido ao forte impacto mecânico da guloseima, algumas melhoras numéricas acima do grupo com guloseimas sem aditivos (grupo B) puderam ser observadas em dentes individuais, em especial naqueles usados principalmente para mastigação (dados não mostrados).

Também deve ser notado que os cães que participaram do estudo são indivíduos bem cuidados que recebem regularmente limpeza dental feita por um veterinário qualificado. Por isso, a média da contagem de gengivite de cada grupo participante foi baixa (contagem de 0, sendo 3,3 de gengivite avançada), realçando o desafio associado à demonstração da significância estatística de maiores reduções na contagem média de gengivite. Uma redução significativa da inflamação das gengivas (contagem de gengivite reduzida), observada no grupo C, que recebeu Controle + chew L1 (760 mg de STAY-C®50) indicou que a STAY-C®50 traz algum beneficio à saúde bucal dos cães, como havia sido demonstrado no caso dos gatos.

Como tema de discussão e com base na maioria dos parâmetros medidos, todos os três estudos demonstraram que, com a introdução da STAY-C® 50, há uma melhora numérica da saúde bucal, se comparada ao controle, sendo algumas delas estatisticamente significativas. É também evidente que a ação mecânica desempenha um papel importante e rações e guloseimas deveriam ser desenvolvidas para potencializar este benefício.

Na DSM, acreditamos que a STAY-C® 50 é a fonte de vitamina C mais indicada para rações secas para cães e gatos e guloseimas mastigáveis para cães, se comparada ao ácido ascórbico, ascorbato de sódio ou a vitamina C da DSM STAY-C® 35. Ela não é apenas uma fonte alimentar de um antioxidante importante, mas também um ingrediente funcional que pode colaborar com a capacidade de um produto de melhorar a higiene bucal de animais de estimação.

STAY-C é uma marca registrada da DSM.

Referências disponíveis mediante solicitação.

Publicado

23 September 2019

Compartilhar

Compartilhar

You are being redirected.

We detected that you are visitng this page from United States. Therefore we are redirecting you to the localized version.