Produzindo um copo de cerveja mais sustentável com a ajuda das soluções de enzima

Não é mais suficiente falar sobre sustentabilidade; chegou a hora de transformar palavras em ação. Na indústria cervejeira, algumas das maiores empresas do setor estão investindo pesado na base e no compromisso com metas ambientais ambiciosas. Até que ponto elas podem ser alcançadas?

Promover a mudança em qualquer setor exige muita boa intenção e ações significativas. À medida que a mudança climática ganha destaque nas pautas públicas, fica claro que o sucesso do mercado e a viabilidade de longo prazo para qualquer negócio dependerá da construção de operações mais sustentáveis. Isso se deve ao fato de os consumidores da atualidade estarem mais conscientes sobre o impacto ambiental dos produtos que eles compram, e sobre o poder que eles têm de criar um futuro mais ambientalmente correto por meio de suas escolhas.

A indústria cervejeira define metas ousadas como curso de ação

A indústria cervejeira está aprendendo e os principais responsáveis estão fazendo compromissos claros para adotar a sustentabilidade em suas operações. Recentemente, a Diageo lançou um plano de ação de sustentabilidade de dez anos com metas ambiciosas alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. Entre as três áreas de foco do plano, está “ser pioneiro em sustentabilidade do grão ao copo”, e a empresa está definindo metas para alcançar a neutralidade nas emissões de carbono das operações diretas e usar 30% menos água em todas as bebidas produzidas até 20301.  A Carlsberg também definiu metas baseadas na ciência para alcançar ZERO emissões de carbono em suas cervejarias até 2030. Leia mais detalhes sobre o roteiro de sustentabilidade da empresa aqui.

A ABInBev também se alinhou com os SDGs e comprometeu-se com metas de sustentabilidade até 2025, as quais incluem obter 100% de sua energia de fontes renováveis2.

A HEINEKEN anunciou recentemente seu programa “2030 Brew a Better World”, um novo conjunto de compromissos ambiciosos com o objetivo de gerar um impacto positivo no meio ambiente, na sustentabilidade social e no consumo responsável de álcool. Esses esforços já estão gerando resultados: A Heineken anunciou recentemente que toda a cerveja vendida pela empresa no mercado holandês está sendo produzida atualmente com energia 100% ecológica3.

×

Soluções de enzima inovadoras tornam os objetivos de sustentabilidade atingíveis

“A tendência rumo a operações sustentáveis na indústria cervejeira, e o compromisso de muitas cervejarias globais de tomar medidas reais, é algo motivador e empolgante para todos nós”, disse Joana Carneiro, diretora de negócios de bebidas da DSM Food Specialties. 

“Como parceira de cervejarias em todo o mundo, a DSM está respondendo à altura com a ampliação do portfólio de enzimas de cerveja que ajudarão as cervejarias a produzir um copo de cerveja mais sustentável, com um ótimo sabor e que implora por mais um gole”.

Como exemplo, a DSM adicionou a Maxadjunct™ ß L, uma enzima de cerveja adjunta de alto desempenho, ao seu portfólio de enzimas. A escolha de matéria prima pode ter um impacto significativo sobre a eficiência geral, o uso de energia e o custo. Portanto, as cervejarias comprometidas com uma produção mais sustentável podem aumentar o uso de adjuntos, como arroz, milho e mandioca, para ajudar a reduzir a quantidade de malte em suas receitas. O processo de maltagem da cevada tem alto consumo de energia e água, por isso, a redução de seu uso e o aumento da proporção de adjuntos pode ter um grande impacto na diminuição das emissões de CO2.

A Maxadjunct™ ß L proporciona às cervejarias a flexibilidade de usar uma ampla variedade de matérias primas (até mesmo 100% de adjuntos) e que resultam em uma ótima cerveja com o mesmo sabor. Um benefício adicional é que os adjuntos são normalmente fornecidos localmente, o que contribui ainda mais para uma economia circular na região e redução da pegada de carbono. 

Resultados que fazem a diferença

As enzimas são naturalmente sustentáveis, simples de usar e podem ser adicionadas em diferentes fases dos processos de produção existentes das cervejarias, dependendo da aplicação e impacto pretendido. Nossa Brewers Clarex® já está no mercado há mais de dez anos e é uma tecnologia comprovada com uma média de uma em quatro garrafas na produção de cerveja, sendo produzida com esse produto para apoiar uma variedade de metas de sustentabilidade globalmente. Ela é uma enzima líquida exclusiva adicionada à fase de fermentação que agiliza a estabilização da cerveja por meio da eliminação da etapa de resfriamento e de enxágue. 

Esse tempo de maturação reduzido (um dia) pode permitir às cervejarias diminuir a pegada de carbono em 5 a 6%, reduzir o uso de água em 1% e economizar até € 70 mil em energia por 1 milhão de hectolitros de cerveja produzida. Na verdade, se toda a cerveja produzida na Europa fosse feita com a Brewers Clarex®, a energia economizada (327 kWh) equivaleria a uma economia de € 30 milhões e a menos 52.000 carros nas estradas em um ano!

A Brewers Clarex® e o restante do portfólio consistente de enzimas de cerveja da DSM é complementado por uma equipe de especialistas em aplicação altamente qualificados, com anos de experiência em ajudar cervejarias a fornecer bebidas sustentáveis e modernas aos consumidores.

Está claro que a sustentabilidade não é mais uma tendência, mas uma exigência, para permitir a realização e a permanência nos negócios e do combate ao impacto das mudanças climáticas. Quando grandes e pequenas empresas participam e fazem compromissos tangíveis para garantir um futuro mais ecológico, como o que aconteceu no setor de cervejas, isso cria oportunidades para soluções inovadoras, como o portfólio de enzimas de cerveja da DSM, que ajudará a possibilitar esse futuro. 

Published on

04 May 2021

Produza mais cerveja com matérias-primas de origem local

O Brewers Compass® permite que os cervejeiros substituam o malte por matérias-primas disponíveis no local, como cevada ou misturas de trigo, milho, arroz, sorgo e mandioca. O processo de maltagem da cevada representa cerca de 10 a 15% da pegada ecológica de uma cerveja. Trocar o malte pela cevada na fabricação permite uma redução de 10% no consumo de cevada e reduz o uso de água e energia. Ao fabricar a cerveja com 100% de cevada usando o Brewers Compass®, a economia da pegada de carbono é normalmente superior a 60 kg de CO₂ por tonelada de cevada usada.

Economia de energia na fabricação da cerveja

A solução exclusiva da DSM para estabilização da cerveja, Brewers Clarex®, reduz seu tempo de maturação. Adicionado durante o estágio de fermentação da cerveja, o Brewers Clarex® permite que os cervejeiros pulem a etapa de resfriamento abaixo de 0º C e enxágue no processo de estabilização e clarificação da cerveja, ajudando a economizar água e energia. A simples troca pelo Brewers Clarex® pode reduzir a pegada de carbono das cervejarias em 5 a 6%, diminuir o uso de água em 1% e registrar uma redução dos custos de energia de até € 70.000 por 1 milhão de hectolitros de cerveja produzida.